Estimulação Cognitiva

É importante providenciarmos um estímulo físico aos nossos patudos através dos passeios e corridas. Mas mais importante e para assegurar o bem-estar dos nossos amigos é fundamental que haja um estímulo cognitivo adequado. Como donos, temos a responsabilidade de enriquecer o seu ambiente e a sua vida.

Os Mind Games

Grandes exemplos de estimulação cognitiva são os chamados mind games que são jogos se resolução de problemas. Existem várias atividades, brinquedos, jogos ou puzzles interativos para cães nos quais o cão tem que resolver um problema para “desbloquear” uma recompensa. Cada vez que ele resolve um problema com sucesso é recompensado pelo dono.

Alguns destes fornecem um sistema de recompensas automático. O mais conhecido é o kong, um brinquedo de borracha desenhado para conter comida ou biscoitos, com o objetivo do cão o manipular e o mudar de posição até conseguir retirar a recompensa. Estes brinquedos podem ser ainda mais vantajosos em situações em que os donos não estão em casa, para que o cão se foque na brincadeira e não na ausência do dono, diminuindo os níveis de ansiedade e stress. No entanto, devemos escolher cuidadosamente a opção mais adequada à personalidade do nosso cão para que não se torne demasiado difícil, o que o leva a desistir por frustração.

A Música e os Sons

Além dos mind games, há alternativas que podem ser usadas para estimular o cão como música ou sons. Já existe música meticulosamente criada para desencadear respostas fisiológicas nos animais, como reduzir ansiedade. Também podem ser usados canais de televisão com sons, imagens e cores estimulantes ou sons a que o cão se deve habituar para evitar medos e fobias.

A Universidade de Duke tem um centro de cognição canina que criou a Dognition, um site com o objetivo de conhecer melhor o seu cão e realizar simples jogos interativos com ele. Essa plataforma tem a vantagem de recolher todos os dados de jogos entre o cão e o dono providenciados por donos de cães de todo o mundo, de modo a beneficiarmos de cada vez mais informação sobre a forma como os nossos cães pensam.

Deixe um comentário