Blog

O que leva um cão a fazer o que faz?

Postado por:

Ao ensinar o seu cão, ou ao criar enriquecimento ambiental em casa, num ambiente doméstico, ou num ambiente residencial, ou num abrigo para cães, pense sobre como o todo o sistema emocional do seu cão afeta todo o seu comportamento, e que ele precisa de si enquanto tutor, para estar confiante e aprender com sucesso. Estas associações ao ambiente que o seu cão faz, contribuirão dramaticamente para a sua educação, e torna-se necessária, senão mesmo fundamental a sua boa sociabilização e habituação e cuidados para garantirmos o futuro e o equilíbrio que procuramos.

Não deve claro está, embrulhar o seu cão em algodão, ou mantê-lo numa manta de seda, deve ter os cuidados para evitar alguns transtornos emocionais, isto porque, as memórias do medo e das inseguranças, não são apagadas pelo cérebro e podem ser muito difíceis de modificar, e associar a novas e boas memórias.

Os exercícios para a sociabilização e habituação adequadas, contribuem na promoção da saúde emocional dos cães que não têm essa necessidade básica cumprida, e podem levar a comportamentos desviantes, ou para sermos mais claros;

  • à sua frustração
  • associações negativas ao ambiente que o rodeia
  • associações negativas a pessoas ou a um perfil de pessoas
  • associações negativas a outros animais
  • associações negativas a outros cães ou a um perfil de cães
  • incluindo a destruição inadequada
  • vocalizações excessivas
  • hiper-reactividade e resposta agressivas

 

Com os enormes avanços que a ciência da aprendizagem dos cães tem feito, ao nível da investigação, estudos, com o aparecimento de especialistas em comportamento animal, de metodologias de treino mais eficazes, todos nos questionamos sobre: “O que leva um cão a fazer o que faz?”

Sabemos que neste momento, não está correto e até é injusto desvalorizar ou retirar experiências emocionais aos cães, como se fosse uma espécie inferior à nossa. Já sabemos como os cães são “emocionalmente construídos”, e já sabemos que a genética tem uma influência residual. Por isso, é importante trata-los com o respeito que nos merecem.

E, assim como os seres humanos, o bem-estar emocional de um cão é influenciado pelas experiências iniciais. Ambientes hipo estimulantes, ou abusivos, manipulação aversiva, ralhetes, jornais, palmadas, paus, e punições ainda mais duras, podem prejudicar severamente o seu crescimento emocional, isto porque, os “caminhos” relacionados com o stress no cérebro são incapazes de se desenvolver adequadamente, originando um cão que que terá muita dificuldade em ter competências sociais ou pura e simplesmente lidar com a vida e o ambiente doméstico.

1
  Posts relacionados

Comentários

Adicionar um comentário