Impacto das Práticas de Treino Aversivas

Os cães são seres inteligentes e emocionais, capazes de sentir medo, ansiedade e alegria. Estão sujeitos às mesmas leis comportamentais que qualquer outro ser vivo. Utilizar métodos que forcem os cães a obedecer, recorrendo a repreensões verbais ameaçadoras ou impondo desconforto através de linguagem corporal intimidante ou contacto visual não estreita os laços entre humanos e caninos, nem cria um ambiente propício para uma aprendizagem saudável. 

Pelo contrário, submeter repetidamente um animal de estimação a estímulos aversivos pode levá-lo a um estado de “desligamento”, em que o comportamento é suprimido globalmente. Isso é frequentemente confundido com um animal “treinado”, uma vez que pode parecer submisso e não apresentar comportamentos problemáticos. Em casos extremos, os cães podem recusar-se a realizar qualquer comportamento, o que é conhecido como “desamparo aprendido”. Nestas situações, os animais podem tentar isolar-se para evitar os estímulos aversivos. Este cenário é claramente contraproducente para o treino de novos comportamentos mais adequados (O’Heare, 2011).

Para que a punição seja eficaz no treino de um cão, ou de qualquer outro animal, é necessário cumprir três elementos críticos: consistência, timing e intensidade. Em primeiro lugar, a punição deve ser aplicada sempre que ocorrer o comportamento indesejado. Em segundo lugar, deve ser administrada dentro de, no máximo, um ou dois segundos após o comportamento. Em terceiro lugar, deve ser suficientemente desagradável para interromper o comportamento. No mundo real, fora dos laboratórios científicos, cumprir estes três critérios é praticamente impossível para um profissional de treino de cães, e muito menos para um proprietário de cães.

Segundo a professora de psicologia, Dra. Susan Friedman, que tem liderado a aplicação da análise do comportamento aplicado a animais em cativeiro e de companhia: “A punição não ensina aos cães o que fazer em vez do comportamento indesejado. A punição não ensina aos tutores como ensinar comportamentos corretos. A punição, na realidade, consiste em dois eventos aversivos – o início de um estímulo punitivo e a privação do reforço que tem mantido o comportamento indesejado no passado.” (Friedman, 2010). O que é particularmente preocupante para profissionais de treino de cães é que a punição requer um aumento na intensidade do estímulo aversivo para manter a redução do comportamento.

Deixe um comentário

Verified by MonsterInsights